terça-feira, 5 de abril de 2011

Cortisol, entenda como seu corpo produz mecanismos que prejudicam o emagrecimento e qualidade de vida!


Uma das maiores reclamações atualmente é o Estresse associado a estafa mental e física. O ritmo do vida acelerado concomitantemente com o exposição a elevados índices de poluentes e substâncias tóxicas ao nosso organismos levam o corpo humano a um estado de INFLAMAÇÃO CONSTANTE.
         “É possível dizer com segurança que vivemos inflamados.”
        
E quais seriam os sintomas desta inflamação?


“Aumento nos níveis de estresse ativa o sistema endócrino, resultando na maior liberação de hormônios glicocorticóides, tal como o cortisol, pela glândula supra-renal. Maior liberação de cortisol sugere refletir situações de perda de controle, depressão e, principalmente, estresse.”

Ou seja, foi criado um ciclo, onde o Estresse eleva o nível de Cortisol que aumenta os sintomas do Estresse.



Sem contar que existem sintomas adjacentes, como problemas intestinais (dores de estômago, constipação, excesso de gases, queimação), micose, alergias de pele e respiratórias, candidíase, dores de cabeça, dores nas articulações, resistência a insulina (aumentando o risco de DIABETES) e o maior inimigo: o acumulo de gordura nas regiões menos desejadas, como abdômen.

Além do próprio estresse elevar os níveis de cortisol no sangue, existem outros hábitos de vida que influenciam seu aumento, um destes fatores é a alimentação. Veja outros exemplos:

Jejum prolongado, uso de plástico para armazenamento de alimentos e Atividade física extenuante sem uma alimentação prévia adequada.

Já em relação a alimentação, o alto teor de gordura saturada, gordura trans, ômega 6 e elevada quantidade de carboidratos simples, associados ao consumo de altas concentrações de aditivos alimentares como corantes, acidulantes, conservantes, adoçantes sintéticos e agrotóxicos, favorecem esta resposta metabólica no organismo, ou seja o aumento do CORTISOL.

O que fazer, então?

Fácil:

Fazer pequenas mudanças em sua rotina, mudando lentamente alguns hábitos, de maneira a reduzir o cortisol.”




5 comentários:

  1. Olá, Marcela!

    É a primeira vez que visito o blog e estou achando muito interessante.

    Gostaria de saber qual o problema com as embalagens de plástico.


    \Paz e saúde!

    carolina

    ResponderExcluir
  2. Ola Carolina, que bom que achou interessante! Este é o objetivo dele!

    Então, o plástico tem um componente chamado Bisfenol A! Que quando aquecido (no microondas por exemplo) é liberado e tem estrutura semelhante ao cortizol, portanto desempenha função parecida a este hormônio no organismo, além de elevar o risco de desenvolvimento de câncer.

    Bom final de semana!

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. OLA MARCELA.MENDO SOBRE O CORTIZOL,FIQUEI PREOCUPADA,
    PORQUE, MEU PESO AUMENTOU 40 HKG,NÃO CONSIGO EMAGRECER.
    DIZEM QUE É PROBLEMA EMOCIONAL, MINHA ALIMENTAÇÃO, NÃO É DAS MELHORES, NÃO QUE EU NÃO POSSA COMPRAR,
    MAS NÃO POSSO COMER UMA PORÇÃO DE COISAS. PORQUE TENHO SINDROME DO INTESTINO IRRITADO, ESSA CONCLUSÃO O MÉDICO CHEGOU DEPOIS QUE FIZ COLONOSCOPIA, GRAÇAS A DEUS NÃO DEU NADA.MAS NÃO POSSO COMER QUASE NADA TUDO DA DIARREIA. ENTÃO A MINHA ALIMENTAÇÃO É LIMITADA. POR FAVOR ME ORIENTE DESDE JA TE AGRADEÇO. ABRAÇOS MALU.

    ResponderExcluir
  4. estou tomando corticoide, predinizona, por suspeita de still no adulto, inchei bastante, sinto muitas dores, queria saber qdo começa a fazer o efeito contrario já que estou diminuindo a dosagem gradativamente hj tomo 10/5mg em dias alternados

    ResponderExcluir
  5. Maravilhosas suas publicações. Estou amando e aprendendo muito.Parabens

    ResponderExcluir

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...