quinta-feira, 12 de julho de 2012

"Pedras" nos rins. Alimentação como aliada.

Esses dias em algumas trocas com pacientes e amigos queridos recebi alguns pedidos sobre dicas para pedra no rim. 
Por isso, fiz este post. Nele dei uma pesquisada em algumas fontes científicas e fiz um pequeno resumo. Acho que ficou bem rico em informações, talvez um pouco teórico. Espero que gostem!

- Aumentar a ingestão de líquidos para no mínimo 2,5 l ao dia. Além da água, chá de ervas e flores e sucos de frutas podem ser consumidos. Chás mate e preto devem ser evitados por conterem oxalato. Sucos de limão e laranja devem ser consumidos por serem ricos em citratos (considerados inibidores da formação de cálculos).
- Evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Estas bebidas são ricas em purinas, que devem ser evitadas por pacientes com hiperexcreção de ácido úrico.
- Não restringir da dieta alimentos ricos em cálcio, como leites, queijos e iogurtes. Os pacientes devem ser orientados a consumi-los de acordo com a recomendação para a população em geral. Vegetais verdes escuros também devem ser consumidos, pois além do cálcio, são ricos em citratos e potássio.
- Aumentar o consumo de hortaliças e frutas. Uma pesquisa realizada por Curhan e col. demonstrou que a baixa ingestão de potássio é fator de risco para litíase renal.
- Diminuir o consumo de produtos industrializados, em conserva e embutidos. O sódio compete com o cálcio na reabsorção tubular renal e o excesso de sódio aumenta a excreção urinária de cálcio.
- Evitar a ingestão de carboidratos simples. A glicose diminui a absorção de fosfato resultando em hipofosfatemia e conseqüente hipercalciúria, uma das causas de cálculo renal formado por oxalato de cálcio.
- Adequar a ingestão protéica de acordo com a DRI (Dietary Reference Intakes). Com o excesso de proteínas de origem animal, presentes principalmente nas carne vermelha, vísceras e miúdos, ocorre sobrecarga de purinas, contribuindo para a hiperuricosúria. Também ocorre maior reabsorção tubular de citrato resultando em hipocitratúria.
- Incluir na dieta alimentos ricos em fitatos, como cereais integrais, leguminosas e oleaginosas. O fitato destes alimentos quela (forma um complexo) o cálcio, desfazendo sua ligação no rim com o oxalato e diminuindo o risco de formação de cálculos.
- Evitar suplemento de vitamina C. O ácido ascórbico, após sua metabolização, resulta em ácido oxálico, que pode elevar o risco de formação de cálculos, por aumentar a excreção de oxalato.
Todas as orientações acima mencionadas devem ser fornecidas individualmente e acompanhadas por um profissional especializado.



Bibliografia (s)

Cuppari L, Avesani MA, Mendonça COG, Martini LA, Monte JCM. Doenças Renais. In: Cuppari L. Nutrição Clínica no Adulto. São Paulo: Manole, 2002. p 194-199.

Curhan GC, Willet WC, Knight EL. Dietary factors and the risk of incident kidney stones in younger women: Nurses Health Study II. Arch Intern Med. 2004; 164:885-91.

Seltzer MA, Low RK, Mcdonald M. Dietary manipulation with lemonade to treat hypocitraturie calcium nephrolithiasis. J Urol. 1996; 156:907-9.

Chol HK, Atkinson K, Karlson EW. Purine rich foods, dairy and protein intake and the risk of gout in men. N Engl Med. 2004; 350:1093-1113.

Massey LK, Liebman M, Kynast-Gales SA. Ascorbate increases human oxaluria and kidney stone risk. J Nutr. 2005; 135:1673-77.




Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...